Vivenciado o Universalismo

Universalismo

O que é o Universalismo?

Universalismo é a orientação filosófica evolutiva fundamentada na presença de leis universais para coordenar o desenvolvimento das consciências, as interações energéticas e a integração de ambas com a dinâmica do Cosmos (Universo).

Já o universalista é alguém aberto a todos sem se preocupar com ascendência étnica, encarando todos sem distinção. Se dedica a estudar e procurar compreender as culturas estrangeiras. Sabe que existe semelhanças biológicas, humanismo, justificação, racionalidade, natureza e esclarecimento, embora, leva em conta as contextualizações culturais.

A vivências do Universalismo

Dependendo sempre da perspectiva e entendimento da cultura, o universalismo é exige reflexão em relação à sua própria cultura para então perceber as demais. De acordo com isso, as culturas são incomensuráveis, ou seja, cada cultura tem sua própria referência à “realidade”, sendo possível uma compreensão apenas parcial de outra cultura.

O universalismo conviviológico é a condição, comportamento ou conduta de a conscin, homem ou mulher, vivenciar coexistência sadia, pacífica, interassistencial, fraterna e cosmoética com os compassageiros evolutivos, a realidade e a pararrealidade do Cosmos

– Enciclopédia da Conscienciologia

Universalismo engloba amor ao todo, reconhecendo que os outros são iguais em direitos e em deveres, abstraídos de suas pertenças coletivas e liberados de suas singularidades pessoais.

O que é ser universalista?

Ser universalista é ser tolerante, interativo, humanista e considerar a humanidade inteira como sua família. Muito além da raça, cultura e crenças, todos os seres humanos são seus irmãos, merecendo o mesmo respeito e consideração.

Considerar a natureza como a mais bela expressão da Terra. Respeitar a vida em todas as suas formas, vendo os animais como seres igualmente conscientes e sensíveis.

Seja um pensador livre e reflita por si mesmo e não conforme estereótipos antigos. Dê a todos a liberdade de pensamento, não impondo suas ideias e considerando que eles são suscetíveis a evolução.

O universalista respeita crenças filosóficas desde que não atentem contra a dignidade humana. Não apoia fanatismo em qualquer forma, nem sendo dogmático ou sectário.

É inadmissível ser influenciado por outros em suas próprias crenças e opiniões, deve-se tentar descobrir a essência de tudo e a verdade de cada um. Em outras palavras, dando sempre a chance às pessoas de se mostrarem para entendê-las.

Oportunidade de evolução

Quando seguimos esse princípio e temos essa atitude, podemos nos surpreender positivamente com o mundo e quem nele habita. É um presente convivermos com inúmeros seres tão diversos.

Essa oportunidade nos é dada para aprendermos que todos os povos têm um jeito especial de ser feliz e desenvolver seus talentos para evoluir. Podemos aprender com todos eles, desde que saibamos extrair o mais precioso de cada um.

Preconceito, radicalismo, ignorância, desprezo e desafeto são atitudes que corrompe deixando estagnados. Só o universalismo leva o indivíduo a felicidade plena.

Para vivenciar o universalismo no sentido mais amplo, seus princípios e regras necessárias devem guiar a vida de uma pessoa ao bem-estar das sociedades humanas e virtudes pessoais, uma regra ética que não deve ser abandonada.

Existem muitas maneiras de pensar sobre os fins humanos e deixá-los florescer e competir uns com os outros, geralmente é onde os problemas do multiculturalismo emergem.

Quando fazemos voluntariamente algo bom para alguém não só da nossa família, nos sentimos bem depois. Não é possível ser feliz deixando o egoísmo tomar conta de sua vida, é preciso resistir a ele e cultivar o altruísmo.

Sempre tem alguém aí do seu lado na família nuclear ou na família de origem, na vizinhança, no trabalho, na sua comunidade religiosa que precisa de ajuda, seja uma palavra de conforto, de ânimo, seja alguma comida, remédio, roupa, calçado ou incentivo espiritual. Ajude-a. Tome a iniciativa de sair da sua zona de conforto para atender alguém em necessidade. Isto é saúde para sua mente e para seu corpo.

Autora

Claudia Fonseca

Graduada em Psicologia, Licenciada em Terapia Autógena (Paracelsus Instituto - Alemanha). Voluntária desde 2017. Docente de Conscienciologia desde 2019. Atualmente atua nas ICs: Apex, CEAEC e Comunicons. Autora do artigo "Em casa na Alemanha" para Revista Intercâmbio.

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Cadastre-se

📩 Receba NOVIDADES sobre a Agenda de Eventos do CEAEC. 
Insira seu melhor e-mail abaixo:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Publicações Recentes