Veículo de Manifestação da Consciência: Psicossoma

Veículo de Manifestação da Consciência: Psicossoma

O Psicossoma é o corpo dos sentimentos e emoções, o veículo com o qual nos manifestamos na dimensão extrafísica, quando estamos projetados ou depois que dessomamos, ou descartamos o corpo físico.

Os veículos de manifestação, ou corpos – soma (corpo físico), psicossoma, energossoma e mentalsoma, interagem entre si continuamente e interferem mutuamente entre si. Assim, para usufruirmos de saúde integral, pensamos em todos eles. É a saúde holossomática ou saúde consciencial.

No caso específico do psicossoma, alguns cuidados podem ser tomados para promover o bem- estar emocional e, como consequência, físico, energético e mental.

 

O psicossoma é sede de emoções mais instintivas, ligadas à sobrevivência, por exemplo, o medo, a raiva, a tristeza, o apego; emoções ligadas à socialização, como a vergonha, a inveja, a compaixão, a empatia, a culpa, a solidariedade, a gratidão, o amor, a paixão, a alegria. Na medida em que amadurecemos e evoluímos consciencialmente, as emoções se tornam mais reguladas, mais avançadas e menos instintivas e mais próximas ao mentalsoma, como a megafraternidade ou a transafetividade.

Assim como as experiências desta vida atual influenciam as nossas emoções, as vivências de vidas passadas também podem trazer resquícios de emoções perante alguma situação que lembre a condição passada. Por exemplo, ao encontrar alguém pela primeira vez nesta vida, é possível já despertar alguma emoção, mesmo sem nenhuma informação prévia, podendo ser emoção agradável ou desagradável.  Como o nosso psicossoma é o mesmo nas várias vidas, (apenas o soma e o energossoma são renovados), essas informações se mantém entre as vidas, mesmo que às vezes não relembradas pelo cérebro físico.

  • Evitar o bloqueio ou repressão das emoções por meio de negação ou evitação;
  • Olhar para as emoções como um sinal do holossoma e de algo que talvez precise ser trabalhado;
  • Usar o mentalsoma para compreender as emoções e buscar técnicas para regulá-las;
  • Se necessário, buscar ajuda de psicoterapia ou consciencioterapia para compreender e regular as emoções, especialmente em caso de traumas passados;
  • Desenvolver relações afetivas maduras e saudáveis, com amigos e dupla-evolutiva;
  • Desenvolver o autoafeto e a expressão genuína de heteroafeto;
  • Aprender a separar o que é seu e o que é do outro; aprender técnicas de desassimilação;
  • Desenvolver a holoconvivialidade sadia, com pessoas, plantas e animais;
  • Ter tempo para cuidar de si;
  • Cuidar também dos demais corpos, já que eles são interligados e o problema em um traz consequências para os demais.

Enquanto o soma, ou corpo físico, inevitavelmente, se desgasta e decai ao longo da vida, chegando um momento em que é necessário desativá-lo, o psicossoma permanece com a consciência durante todo esse processo de vidas sucessivas até a passagem para outra etapa evolutiva ainda pouco conhecida, quando nos tornarmos libertos desse ciclo vivências corpóreas e energéticas. Assim, investir esforços evolutivos nos cuidados com o psicossoma é bastante importante para avançarmos na evolução consciencial.

Autora

Roberta Bouchardet

Roberta Bouchardet é psicóloga clínica, especialista em TCC e Terapia de Esquemas. Mestre em Filosofia. Especialista em Administração Financeira.

Referências Bibliográficas

Verbetes da Enciclopédia da Conscienciologia:

Vieira, Waldo; Projeciologia; Editares; 2009.

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Cadastre-se

📩 Receba NOVIDADES sobre a Agenda de Eventos do CEAEC. Insira seu melhor e-mail abaixo:

Publicações Recentes