Interassistencialidade

O que é Interassistência?

A assistência entre as pessoas é algo presente desde os tempos antigos, dos egípcios, da Grécia antiga e outros povos. A história dessa prática de ajudar outras pessoas mostra mudanças e evolução nas formas de realizá-la.

Podemos verificar essas mudanças na profissionalização das tarefas assistenciais, na ampliação do público assistido (incluindo animais e florestas), no aumento do uso político da assistência e outras mudanças.

A interassistência é proposta pela Conscienciologia como a vivência da assistência mútua entre as consciências intrafísicas (que estão atualmente se manifestando com o corpo físico) ou extrafísicas (que estão se manifestando atualmente sem o corpo físico) e se fundamenta, principalmente, na reeducação por meio da tarefa do esclarecimento (tares), visando a otimização do processo evolutivo dos envolvidos.

Você realiza algum tipo de assistência?

A prática da interassistência faz parte da programação existencial (missão de vida, propósito existencial) de todas as consciências que já se despertaram para o processo evolutivo, e qualificar essa assistência ajuda na aceleração da evolução pessoal. Ela gera ganhos evolutivos tanto em quem recebe a ajuda quanto em quem a realiza.

Como qualificar a Interassistência?

Para refletir sobre a sua interassistencialidade, são propostas as seguintes reflexões:

  • Que tipo de assistência predomina na sua prática assistencial, tares (tarefa de esclarecimento) ou tacon (tarefa de consolação)?

  • A sua profissão predispõe à interassistência? Ou à assistência?

  • Você sente evolução consciencial nos seus assistidos? E em você, a partir da sua prática assistencial?

  • Você realiza alguma tarefa assistencial voluntária, não remunerada?

  • Sente conexão com amparadores extrafísicos quando está na sua função assistencial?

  • Gostaria de qualificar de alguma forma a sua assistência ou interassistência?

A tares, ou tarefa do esclarecimento, visa reeducar a consciência disposta à mudança, na direção de uma manifestação mais sadia, mais realizadora, menos assediada. Com isso, aquela consciência assistida passa a ter condições de ser mais um assistente no grande mecanismo assistencial multidimensional proposto pela Conscienciologia.

A outra forma de assistência, a tacon ou tarefa da consolação, foca no atendimento de uma necessidade mais imediata, sem necessariamente mudar a existência do assistido. Muitas vezes a tacon atende necessidade material ou emocional, instintiva, sem suscitar reflexão sobre a própria realidade, sem fomentar a autonomia e nem a formação de alguém que possa participar também como assistente nesse planeta tão carente de assistência.


Conclusão

Ambas as formas de assistência são necessárias no planeta atualmente, pois há muita carência de todas as naturezas e, quando realizadas com intencionalidade sadia e sem interesses espúrios ou simulados, predispõem ao contato com amparadores extrafísicos especializados naquele tipo de assistência prestada.

Autora

Roberta Bouchardet

Psicóloga clínica, especialista em TCC e Terapia de Esquemas. Mestre em Filosofia. Especialista em Administração Financeira
Voluntária atualmente da Conscius.
Docente da Conscienciologia desde 1998.

Referências Bibliográficas

- Dicionário de Neologismos da Conscienciologia.
- Almeida, Julio. Qualificação Assistencial.

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Cadastre-se

📩 Receba NOVIDADES sobre a Agenda de Eventos do CEAEC. 
Insira seu melhor e-mail abaixo:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Publicações Recentes