Português

Transcrição:

Você chegou ao marco central do CEAEC, local de importante simbologia por diversos motivos e que hoje abriga a Praça da Paz.

Para começar, foi aqui que, em mil novecentos e noventa e cinco, iniciaram-se as construções do complexo do campus, conjunto de todos os ambientes e construções que hoje você está visitando.

Este também foi o ponto escolhido para o lançamento da pedra fundamental do bairro da Cognópolis, representada pelo monumento à paz mundial.

Este monumento, que se encontra à sua frente, é composto por um megálito, fragmento de rocha granítica medindo sete metros de altura com base de um metro e quarenta por oitenta centímetros.  Esta rocha é originária do município de Ataléia, em Minas Gerais.

Solicitada pelo professor Waldo no início da construção do CEAEC, a implantação do megálito aconteceu em dezessete de julho de dois mil e treze, e é a expressão da força concreta e objetiva do voluntariado conscienciológico nos esforços de pacificação do planeta.

O paradigma consciencial traz a paz na condição de sustentáculo e cultura. Essa cultura de paz é o conjunto de valores, atitudes, modos de pensar, sentir e agir baseados na preservação da vida, na postura pacificadora da reeducação para o diálogo, no respeito às liberdades de pensamento e expressão, no compromisso da mediação anticonflitiva assumido consigo mesmo e com os outros. Fundamenta-se nos princípios de liberdade, solidariedade, democracia, diversidade cultural e no intercâmbio positivo entre pessoas, grupos e sociedades.

Circundada pelos laboratórios conscienciológicos, a Praça da Paz, com a forma monumental e a força geoenergética do megálito, atrai visitantes e inspira a implantação de outros ícones pacifistas, a exemplo do mastro instalado para hasteamento da bandeira da onu; da inscrição da palavra paz em diversos idiomas; da ponte interparadigmática; e da presença da rosa dos ventos associada  aos pontos cardeais. Isso tudo simboliza a aceleração dos debates e dos mecanismos para a defesa dos direitos humanos; os pactos de cooperação entre pessoas, instituições e nações; o fortalecimento da liberdade de pensamento, da fraternidade e da solidariedade entre indivíduos e grupos sociais. A paz orientando os passos evolutivos.